Logicalis é um dos patrocinadores do projeto Xadrez para Todos

A Logicalis, companhia global de soluções e serviços de tecnologia da informação e comunicação, decidiu apoiar, neste ano, o projeto Xadrez para Todos, uma iniciativa da Associação para o Desenvolvimento do Xadrez — entidade sem fins lucrativos, que tem como público-alvo 200 crianças da rede pública, com deficiência física, visual, TEA – Transtorno do Espectro Autista (leve) e Síndrome de Down.

O esporte já era bem conhecido e valorizado pelos profissionais da Logicalis pelos inúmeros benefícios que ele proporciona. Antes da pandemia, quando os escritórios da empresa tinham um dia a dia presencial, uma cena era muito comum no horário do almoço: profissionais jogando xadrez no Espaço de Convivência, cercados por uma torcida silenciosa e atenta à cada movimentação. O interesse pela prática se manteve ao longo de 2020, levando cerca de 30 funcionários a participar do campeonato virtual promovido pela companhia.

“Encontramos neste projeto uma oportunidade de incentivar a educação de uma forma lúdica e transformadora, visto que as crianças atendidas são portadoras de necessidades especiais. Por meio do xadrez, além de aprender, elas se conscientizam de que são capazes de melhorar seu desempenho com seu próprio esforço, podendo disputar em igualdade de condições”, explica Rodrigo Parreira, CEO da Logicalis para a América Latina.

Para as crianças com deficiência, o esporte estimula as funções executivas, como memória de trabalho, controle inibitório e flexibilidade cognitiva, além de beneficiar o desenvolvimento e/ou potencialização de habilidades emocionais e sociais. “O apoio de empresas privadas, assim como a chancela do poder público, são fundamentais para a realização das nossas ações. Por meio de recursos aportados por empresas como a Logicalis, podemos oferecer melhores condições de desenvolvimento a todas as nossas crianças”, afirma Dayse Vescovi, diretora técnica na Associação para o Desenvolvimento do Xadrez.

Na pandemia, as aulas passaram a ser virtuais, seguindo a mesma frequência de antes: duas vezes por semana. Nelas, os alunos são separados por turmas e ensinados por professores experientes e reconhecidos no esporte. Para saber mais sobre o projeto Xadrez para Todos, basta acessar o site da iniciativa.