Logicalis cresce 26,8% em receita líquida no ano fiscal de 2018 na América Latina

A Logicalis, empresa global de serviços e soluções de tecnologia da informação e comunicação, conquistou um ótimo resultado no ano fiscal de 2018, encerrado em fevereiro deste ano. A receita líquida da empresa na América Latina foi de US$ 537,9 milhões – 26,8% maior do que no mesmo período ao ano.

Mais uma vez a região é a principal fonte de rentabilidade do grupo Logicalis, sendo responsável por 54,5% do seu EBITDA. Entre as razões que levaram ao resultado positivo, estão a retomada dos investimentos por parte dos bancos e operadoras no Brasil, e o crescimento de projetos disruptivos, principalmente nos setores de utilities e agronegócio. A área de serviços continuados também impulsionou o resultado financeiro devido ao crescimento de 19,7% em receita líquida, sendo hoje a unidade de maior rentabilidade da empresa.                                                                                 

“Cada vez mais, as novas tecnologias fazem parte das discussões de transformação digital das empresas. Por isso, continuamos investindo em um ambiente propício à inovação ao mesmo tempo em que fortalecemos ofertas já consolidadas. Os ótimos resultados do último ano fiscal confirmam a assertividade da nossa estratégia, tendo contribuído, inclusive, para um aumento nonosso market share em segmentos tradicionais, como bancos e operadoras”, afirma Rodrigo Parreira, CEO da Logicalis Latin América.

O Brasil continua sendo um dos países mais representativos da região, com 63% dos resultados totais da América Latina, tendo conquistado margem EBITDA de 9,5% e receita líquida de US$ 340 milhões, 36% maior do que no período anterior. Além dele, outros destaques são Argentina, Chile, Colômbia e México, sendo este último o de maior crescimento em termos de receita líquida: aumento de 410% frente ao ano anterior.

Globalmente, o grupo Logicalis, por sua vez, registrou US$ 1,56 bilhão em receita líquida no ano fiscal de 2018, um crescimento de 7% frente ao ano anterior, e margem EBITDA de 5,5%.