IoT garante manutenção preventiva na fábrica da Renault Brasil

CENÁRIO

A Renault Brasil, uma das maiores fabricantes de veículos e motores do país, com produção de 300 mil veículos por ano, está em constante jornada de transformação digital. Alguns dos objetivos dessa evolução são proporcionar experiência diferenciada ao usuário final, otimizar processos, ampliar produtividade, gerar inovação e, especialmente, conquistar máxima eficiência produtiva.

Nessa trajetória, um dos grandes desafios da Renault era reduzir o máximo possível as paradas das máquinas para garantir mais eficiência na produção de veículos no Complexo Ayrton Senna. Localizado em São José dos Pinhais (PR), ele abriga quatro fábricas e produz um veículo por minuto. Operação altamente crítica da operação.

Isso porque, de acordo com Angelo Figaro, CIO e CDO da Renault-Nissan Latam, cada minuto com a fábrica parada representa significativa perda de receita. Era premente, portanto, a modernização do ambiente com tecnologia que possibilitasse manutenção preventiva e preditiva para evitar pausas.

“Como prever ou antever quando nossas máquinas precisam de algum tipo de cuidado? Prever e antecipar a manutenção no menor espaço de tempo possível são essenciais para obter melhor eficiência, ou seja, menos máquinas paradas”, explica o CIO.

A solução veio por meio da plataforma EUGENIO, que transformou o cenário anterior para atender às expectativas do negócio com análise de dados transmitidos pelos sensores, no conceito de Internet das Coisas (IoT), em tempo real.

No ambiente antigo, o monitoramento das máquinas era off-line. O time da manutenção coletava os dados (off-line) e somente depois de dez a quinze dias, esses parâmetros eram analisados. Esse processo analógico comprometia a agilidade das tomadas de decisão, necessidade altamente crítica para o negócio.

SOLUÇÃO

A solução, desenvolvida pela Logicalis, contou com o uso de sensorização da linha de produção (HW) em máquinas. Por meio de dados emitidos por eles, a equipe da Renault detecta sinais de problemas iminentes pelo tipo de vibração. Essas informações servem de alerta para que providências sejam tomadas antes que evolua para um incidente mais grave, como a parada do equipamento.

Um dos exemplos é a instalação de três sensores de vibração no motor principal da linha de prensas da Renault. De hora em hora, eles enviam dados de vibração desse motor, que são processados em um gateway e então essas informações são enviadas para a nuvem.

Na nuvem, a plataforma EUGENIO analisa os dados, filtra e gera conhecimento para análise on-line do monitoramento do motor principal das prensas. É uma avaliação em tempo real, que agiliza decisões e providências.

“Antes desses alertas, não conseguíamos nos antecipar às paradas para evitá-las. Agíamos depois do incidente. Hoje, podemos controlar quando a máquina precisa parar, não é mais um fato inesperado. A parada é planejada e ganhamos otimização do tempo de pausa”, lembra Figaro.

BENEFÍCIOS

Com o alerta em tempo real do risco de parada das máquinas, a Renault consegue planejar as pausas e com isso otimiza o tempo, garantindo manutenção preventiva e preditiva. De acordo com o CIO da Renault-Nissan Latam, a montadora conquistou total controle da produção com monitoramento on-line evitando paradas e perdas de receita.

Antes, as análises sobre o desempenho das máquinas eram concluídas em até 15 dias. Hoje, elas acontecem em tempo real. Recursos de IoT permitem predizer quando será necessária uma manutenção ou antecipar esse procedimento, possibilitando planejamento de pausas e garantindo eficiência produtiva.