Com apoio da Logicalis, complexo hospitalar brasileiro adota infraestrutura hiperconvergente

Cenário

Em funcionamento desde 1949, um importante complexo hospitalar brasileiro, atuando em mais de 50 especialidades com serviços de internação, possui consultas médicas especializadas e pronto-socorro, moderno centro cirúrgico, medicina nuclear, unidade de quimioterapia e infusão e completa estrutura de medicina diagnóstica.

Toda a sua operação era suportada por uma infraestrutura de Tecnologia da Informação tradicional, baseada em sistemas de armazenamento mecânicos (storage), switches fiber channel e servidores virtuais rodando em equipamentos no final de sua vida útil. Essa estrutura suportou a demanda do hospital por muitos anos, mas foi pressionada pelo movimento de modernização vivido pelo setor de saúde, com a implementação de soluções como o prontuário eletrônico e o arquivo digital de informações, por exemplo.

Essa pressão tornou-se especialmente maior durante a pandemia, aumentando a necessidade de adoção de uma infraestrutura que fosse mais simples de operar e de manter. Diante do novo contexto, o ambiente tradicional não tinha mais capacidade de crescimento e precisava passar por uma reformulação.

Solução

Parceira de longa data do hospital e responsável por projetos como a implementação do Wi-fi e de soluções de segurança de rede, a Logicalis foi escolhida para o projeto de reformulação da infraestrutura. Um fator decisivo na escolha foi o trabalho consultivo do fornecedor.

A premissa do projeto era a busca de uma infraestrutura que trouxesse escalabilidade, implementação mais rápida e que fosse mais fácil de operar. Outro ponto importante era a era simplificação do suporte para diminuir o tempo de resolução de incidentes. Depois de um trabalho de investigação da infraestrutura tradicional e das demandas do hospital, optou-se pelo uso da solução Cisco Hyperflex.

A solução combina computação, armazenamento e rede em uma plataforma simplificada e fácil de usar. A plataforma inclui uma estrutura de rede integrada, otimização de dados eficiente e gerenciamento unificado que leva o potencial completo da hiperconvergência a uma faixa mais ampla de cargas de trabalho e casos de uso. Com isso, ela é mais rápida de implantar, mais simples de gerenciar e mais fácil de escalar, oferecendo um pool unificado de recursos de infraestrutura para suprir aplicações conforme as necessidades.

Além disso, a solução tem também capacidade de integração com o ambiente tradicional, permitindo um processo de migração planejado. Outros diferenciais são a possibilidade de escalabilidade somente de nós computacionais, trazendo uma economia significativa em caso de crescimento da infraestrutura hiperconvergente, com economia significativa de armazenamento, uma vez que esses nós não precisam de licenças de hipeconvergência e nem de drives de dados. Outro benefício da solução é a capacidade de redução de dados por compressão e desduplicação, permitindo que o cliente armazene mais dados, sem consumir mais espaço nos drives.

A escolha permitiu ao hospital migrar sua carga de trabalho para uma estrutura com tempo de resposta extremamente baixo. Com isso, torna-se possível atender a vários sistemas simultaneamente sem perda de qualidade e crescer de modo otimizado, sem a necessidade de adquirir infraestrutura superdimensionada. Mais que a migração das aplicações tradicionais, a solução representou uma renovação completa do ambiente de tecnologia do hospital.

Benefícios

A nova infraestrutura hiperconvergente do hospital está em implementação e gerando uma série de expectativas em relação aos resultados. A partir de sua entrada em operação, os benefícios mais esperados são: melhoria do tempo de resposta; simplificação operacional; e centralização do suporte, com apenas um fornecedor consolidando as questões relacionadas à infraestrutura.

Além da simplicidade da operação, o monitoramento também deve ganhar mais eficiência com o uso da plataforma Cisco Intersight, que vai possibilitar previsões de crescimento e simulações, além da avaliação de dados analíticos sobre sazonalidade, recursos a serem utilizados, etc. Com tudo isso, a expectativa é de uma queda de 75% nos custos operacionais do hospital, em comparação com a estrutura anterior.